! [panfleto] unidade contra todos os ataques! - Território Livre

[panfleto] unidade contra todos os ataques!

Alckmin e Dória tentaram despejar nas nossas costas mais um ataque, camuflando o aumento da tarifa, no aumento da integração dos transportes. Se a justiça reverteu esse aumento, algo que desmobilizou os atos, não podemos achar que foi por se preocupar com o trabalhador. Num cenário de crise política, e num ano que prevê medidas impopulares como a reforma da previdência e a reforma trabalhista, a burguesia em certo sentido tem medo que qualquer mobilização sirva para forjar a resistência.

Em defesa das condições de vida

Na ponta do lápis, cada centavo a mais na condução se junta com o aumento do aluguel, com a alimentação cada vez mais caro, com a luz que está o olho da cara. No fim do mês só o nosso salário não aumenta.
Devemos ter clareza: lutar contra o aumento de cada mercadoria do mercado (como o aumento das passagens) é, em certo sentido, irracional e não resolve o problema da inflação, sentida pela população ao final de todo mês. O que faz sentido é lutar para que a nossa própria mercadoria — a nossa força de trabalho, nosso salário — aumente. É muito mais fácil e racional controlar o valor de uma só mercadoria — nossa força de trabalho — do que o de todas as outras mercadorias do mercado.
Se não bastasse nosso salário cada vez mais corroído, o desemprego é cada vez maior, a ponto de 1 a cada 4 jovens estar sem serviço. Precisamos defender nossos empregos.

Levar a luta aos locais de trabalho

A juventude pode lutar de verdade, numa perspectiva revolucionária: não apenas em atos de rua, mas em aliança com os trabalhadores em seus locais de trabalho, em defesa dos nossos salários e empregos! Somente a partir das greves e ocupações poderemos emparedar os governos e lutar de verdade contra o capital!
Lutar contra o aumento geral do custo de vida é não aceitar que a nossa vida fique cada vez pior com inflação, desemprego e exploração. Essa luta pode nos ajudar a articular um movimento ainda maior (com ampla unidade entre todos os lutadores e organizações políticas) para barrar as reformas que querem arrancar nossa aposentadoria e tornar os empregos que restam ainda mais precários! Erguer um movimento de unidade contra as reformas de Temer é tarefa essencial da esquerda na atual conjuntura para colocar a classe trabalhadora em ação.
Cada vez mais é preciso que os trabalhadores confiem somente nas suas próprias forças pra lutar contra a crise em defesa das nossas condições de vida!