! [panfleto] suspensão não! revogação! - Território Livre

[panfleto] suspensão não! revogação!

LUTAR PELA REVOGAÇÃO!

O último decreto do Alckmin não cancelou a reorganização! Ele só revogou o decreto anterior, que começava a aplicar a reorganização agora, mas ele não dá nenhuma garantia de que ela não será retomada no ano que vem. Na prática o que Alckmin fez foi suspender, adiar a reorganização, não revogar!

É claro que esta suspensão é resultado da força da luta secundarista. Isso é muito importante. As ocupações e o tamanho da mobilização secundarista são um marco histórico na luta da juventude no Brasil. Uma nova geração começa a surgir a partir dessa experiência! Mas não foi a suspensão o que o movimento pediu, não foi por ela que lutamos, ocupamos e tomamos as ruas. É preciso deixar isso claro: a suspensão não basta; é pouco! Se a aceitarmos, estaremos fazendo uma trégua, mas não estaremos vencendo. Se fizermos uma trégua, temos de estar conscientes disso, e não nos deixar enganar achando que vencemos.

A suspensão permite a Alckmin aplicar a reorganização aos poucos, parte por parte, a partir do ano que vem. O governador precisa fazer isso, porque na verdade quer cortar gastos. Ele não está preocupado com pedagogia, mas apenas em gastar menos dinheiro com educação.

Nós já vimos antes, em outras grandes e importantes lutas, os golpes que os governantes deram para enganar os lutadores. Em 2007, numa forte onda de ocupações de universidades e de algumas escolas, José Serra suspendeu seus decretos para, após o fim do movimento, aplicá-los aos poucos, fatiados. Em 2013, após a queda dos 20 centavos, Haddad disse que tiraria esse valor de outras áreas, como saúde e educação, já que não podia tirar do transporte. E foi o que fez. Agora Alckmin fará a mesma coisa: pretende passar a proposta, mas por outros meios, enrolando os estudantes. É assim que os governantes agem. Não devemos confiar neles.

O movimento conseguirá impor essa derrota total a Alckmin e revogar completamente a “reorganização”? Esperamos que sim. Entretanto, precisamos reconhecer que a correlação de forças para a luta pode ter ficado desfavorável, devido à inexistência de uma articulação geral, mais ampla, dos estudantes e devido à relativa demora na realização de ações radicais.

Na ausência de um Comando amplo — onde todas ou ao menos a maior parte das escolas estivesse representada — aquelas que hoje são controladas por entidades burocráticas mal têm algum contato com a ala mais radical do movimento e com a discussão política mais geral começam a ser desocupadas. Alguns grupos políticos já estão cantando vitória muito cedo e, devido a esse isolamento, alguns estudantes podem achar que o movimento já é vitorioso. A pressão contra as ocupações, por isso, crescerá. É compreensível — embora errado — que haja algumas desocupações nesta semana, mas isso é consequência da desinformação sobre a posição de Alckmin. Essas desocupações podem deixar isolados os estudantes que compreendem que é necessário seguir lutando nas escolas mais radicalizadas e articuladas.

Apesar desse cenário possivelmente mais difícil, nós do Território Livre estaremos nas ruas e nas ocupações, junto com todos os lutadores, para dizer em alto e bom som: Alckmin, você não nos enganará! Queremos a revogação total da reorganização!

RESISTIR, OCUPAR! SUSPENSÃO NÃO! REVOGAÇÃO!
OCUPAR PARA CRIAR UM MUNDO NOVO!

O QUE O TERRITÓRIO LIVRE PENSA?

A gente do Território Livre sempre colocou nos nossos materiais e no nosso programa a importância do método de luta que vemos os estudantes fazerem na prática hoje: a ocupação de escolas e universidades. Assim que os estudantes ocupam a sua escola coloca-se a questão: quem manda na escola? Os diretores e burocratas ou os estudantes, que são a maioria? Eles ou nós?

E já conseguimos ver como ELES não suportam perder o controle!

Ora, a NOSSA escola sempre foi controlada por ELES, a gente tem que trabalhar pras empresas DELES, a gente não pode se reunir livremente sem o controle DELES!

A partir de agora, quem manda na escola somos NÓS! Nas escolas, universidades e em todos os espaços em que podemos criar livremente, ELES vão sempre tentar nos controlar, colocando a polícia como seu cão de guarda. Temos que resistir e gritar em alto e bom som: NÃO PASSARÃO! NÃO À REPRESSÃO!

Mas não são só os estudantes que são reprimidos e controlados. O povo trabalha o ano todo, longas horas por dia e com um salário miserável pra conseguir colocar comida no prato da família inteira.

Assim como eles controlam a juventude, eles exploram cada vez mais o trabalhador. O TL acha que é preciso defender sempre uma aliança com a luta dos trabalhadores, porque só assim é possível construir um verdadeiro PODER POPULAR.

Quem manda aqui somos NÓS, a maioria, os estudantes e trabalhadores!

O QUE O TL FAZ?

É pensando em resistir a todos esses ataques que a gente toca e apoia as lutas que vão surgindo e que andam cada vez mais frequentes. Desde 2006 lutando contra a repressão, participamos das lutas contra o aumento da passagem (em junho de 2013 e janeiro de 2015), organizamos atos contra a Copa em 2014, participamos da campanha pelo Voto Nulo em 2014, da luta contra a falta de água na virada do ano e agora estamos apoiando a luta dos estudantes contra a reorganização!

Temos sempre que resistir aos ataques DELES contra NÓS!

Além das lutas nas ruas, achamos que é muito importante construir algo permanente pra articular os jovens. Um estudante de uma escola às vezes acha que seus problemas são só seus ou só da sua própria escola, mas na verdade são problemas que acontecem em todas as escolas e esses ataques todos os jovens sofrem. Pra se defender desses ataques, a juventude tem que se unir!

É pensando nisso que a gente constrói um JORNAL, onde a gente escreve o que a grande mídia nunca divulga mas que todos nós sentimos: como ELES nos CONTROLAM, nos ENJAULAM, nos EXPLORAM e nos REPRIMEM.

Este jornal é feito por nós e por todos que nos acompanham nas regiões onde atuamos (São Paulo, São Bernardo, Osasco e Guarulhos), buscando sempre DAR VOZ aos jovens, fazendo uma produção conjunta ao invés de ficar só discursando por aí.

É com o próprio jornal e outras atividades práticas que a gente tenta articular todos os jovens que estão revoltados contra tudo isso, para a gente se preparar pras lutas futuras que vão surgir cada vez mais e em todos os lugares!

PRA REVOLTA SE ESPALHAR! RESISTIR! ARTICULAR! PODE VIR: NÓIS JÁ TÁ FERVENDO!
TODO APOIO À LUTA DOS ESTUDANTES!

Baixe o pdf do panfleto