! [panfleto] o que significam essas grades? - Território Livre

[panfleto] o que significam essas grades?

Pela primeira vez em 50 anos, os calouros que chegarem à ECA neste início de 2017 encontrarão a Prainha, nossa praça e espaço de convivência, cercada por grades. Para piorar, a diretoria só permite o acesso ao espaço até às 18h e o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), que por muito tempo ocupou o mesmo prédio que nossa vivência, acaba de ser despejado para uma sede menor e mais precária.

Com as grades, além de perdermos um espaço de lazer, as entidades se enfraquecem materialmente. A independência financeira do CALC vem do aluguel da lanchonete e de atividades realizadas na Prainha, assim como parte da renda da Atlética. Várias unidades da USP já passaram ou passam pelo mesmo processo.

A reitoria deseja quebrar as entidades (CAs e Sintusp) para aprovar sem resistência o seu “ajuste fiscal”, uma série de medidas de “cortes de gastos” que atacam docentes e funcionários e precarizam os serviços da USP. Essa será a pauta do Conselho Universitário, órgão máximo da reitoria nesta terça (7.03).

Não é de hoje que a Prainha está ameaçada, mas a repressão avançou com mais força a partir do ano passado, com a ordem de despejo do Sintusp, novas câmeras e processos contra estudantes. Do nosso lado, resistimos com uma forte greve no primeiro semestre, junto dos trabalhadores, ocupamos por 50 dias o prédio central da ECA e defendemos nossos espaços.

Sabendo de nossa força, a reitoria esperou até às vésperas do último natal para levantar as grades, que custaram R$631 mil em plena “crise”. Ao longo das férias, a situação só piorou: o acesso de carros foi proibido, a entrada de pedestres acabou fechada e, na última semana, dois estudantes foram detidos pela PM dentro da Prainha.

Sem movimento, as grades e a polícia se tornam donas do Campus. Mas agora, com a volta às aulas, é hora de reconstruirmos a resistência. Será mais difícil sem o Sintusp por perto, mas a história nos mostra do que somos capazes quando unimos nossas forças e decidimos falar mais alto.

EM DEFESA DE NOSSOS ESPAÇOS!
ABAIXO AS GRADES!
FORA PM!