! [panfleto] ocupamos, e agora? - Território Livre

[panfleto] ocupamos, e agora?

Com menos de um mês de vida, a luta das ocupações estudantis já mostrou que tem poder pra fazer os governantes tremerem nas suas cadeiras de gabinete. Na primeira semana, eram 20 escolas ocupadas. Na seguinte, 80.

Depois, mais de 200 as escolas comandadas pelos estudantes. E na próxima semana, esse número vai aumentar, se manter ou diminuir?

Como fazer a luta avançar e barrar de vez a reorganização?

Os estudantes tiveram que enfrentar todo tipo de pressão pra manter as ocupações: domaram os diretores das escolas e os professores reaças; enfrentaram e resistiram corajosamente à repressão da polícia; aguentaram a pressão dos outros estudantes que só queriam terminar seus cursos e dos pais que temiam a luta; tiveram de se organizar pra garantir comida, limpeza, segurança… enfim: os estudantes aprenderam a se organizar e hoje comandam centenas de escolas no estado de São Paulo!

A questão volta a ser: como não ficar só focado nos problemas locais e conseguir dar um passo além, capaz de pressionar ainda mais os governantes, que estão se preparando pra destruir o movimento?

Por todos os lados alguns estudantes tomam iniciativas pra tentar dar esse “passo além”, mas isso acaba sendo muitas vezes tão desarticulado que nem o conjunto dos estudantes fica sabendo dessas ações! Como fazer com que todos os milhares de estudantes que estão comandando as escolas consigam fazer em conjunto ações radicais, que dêem um xeque-mate no governo? Essa desarticulação dos estudantes acaba sendo tão prejudicial que inclusive dá espaço pra que alguns estudantes ligados às tradicionais entidades estudantis tentem fazer acordos com o governo às costas do movimento, buscando negociar o fim da luta.

É urgente que as escolas se articulem, elejam representantes nas suas assembleias e se reúnam para pensar ações radicais pra dar um golpe decisivo no governo! Achamos que sem isso, sem essa articulação geral, os problemas locais, o fim do ano e os próximos ataques do governo vão acabar consumindo e enfraquecendo a luta dos estudantes!

O QUE O TERRITÓRIO LIVRE PENSA?

A gente do Território Livre sempre colocou nos nossos materiais e no nosso programa a importância do método de luta que vemos os estudantes fazerem na prática hoje: a ocupação de escolas e universidades. Assim que os estudantes ocupam a sua escola coloca-se a questão: quem manda na escola? Os diretores e burocratas ou os estudantes, que são a maioria? Eles ou nós?

E já conseguimos ver como ELES não suportam perder o controle!

Ora, a NOSSA escola sempre foi controlada por ELES, a gente tem que trabalhar pras empresas DELES, a gente não pode se reunir livremente sem o controle DELES!

A partir de agora, quem manda na escola somos NÓS! Nas escolas, universidades e em todos os espaços em que podemos criar livremente, ELES vão sempre tentar nos controlar, colocando a polícia como seu cão de guarda. Temos que resistir e gritar em alto e bom som: NÃO PASSARÃO! NÃO À REPRESSÃO!

Mas não são só os estudantes que são reprimidos e controlados. O povo trabalha o ano todo, longas horas por dia e com um salário miserável pra conseguir colocar comida no prato da família inteira.

Assim como eles controlam a juventude, eles exploram cada vez mais o trabalhador. O TL acha que é preciso defender sempre uma aliança com a luta dos trabalhadores, porque só assim é possível construir um verdadeiro PODER POPULAR.

Quem manda aqui somos NÓS, a maioria, os estudantes e trabalhadores!

O QUE O TL FAZ?

É pensando em resistir a todos esses ataques que a gente toca e apoia as lutas que vão surgindo e que andam cada vez mais frequentes. Desde 2006 lutando contra a repressão, participamos das lutas contra o aumento da passagem (em junho de 2013 e janeiro de 2015), organizamos atos contra a Copa em 2014, participamos da campanha pelo Voto Nulo em 2014, da luta contra a falta de água na virada do ano e agora estamos apoiando a luta dos estudantes contra a reorganização!

Temos sempre que resistir aos ataques DELES contra NÓS!

Além das lutas nas ruas, achamos que é muito importante construir algo permanente pra articular os jovens. Um estudante de uma escola às vezes acha que seus problemas são só seus ou só da sua própria escola, mas na verdade são problemas que acontecem em todas as escolas e esses ataques todos os jovens sofrem. Pra se defender desses ataques, a juventude tem que se unir!

É pensando nisso que a gente constrói um JORNAL, onde a gente escreve o que a grande mídia nunca divulga mas que todos nós sentimos: como ELES nos CONTROLAM, nos ENJAULAM, nos EXPLORAM e nos REPRIMEM.

Este jornal é feito por nós e por todos que nos acompanham nas regiões onde atuamos (São Paulo, São Bernardo, Osasco e Guarulhos), buscando sempre DAR VOZ aos jovens, fazendo uma produção conjunta ao invés de ficar só discursando por aí.

É com o próprio jornal e outras atividades práticas que a gente tenta articular todos os jovens que estão revoltados contra tudo isso, para a gente se preparar pras lutas futuras que vão surgir cada vez mais e em todos os lugares!

PRA REVOLTA SE ESPALHAR! RESISTIR! ARTICULAR! PODE VIR: NÓIS JÁ TÁ FERVENDO!
TODO APOIO À LUTA DOS ESTUDANTES!

Baixe o pdf do panfleto