! ainda dá tempo de criar um comando de verdade - Território Livre

ainda dá tempo de criar um comando de verdade

O movimento dos estudantes em luta ainda não tem uma coordenação política legítima que organize ações radicais e massivas, bem como apresente uma pauta geral do movimento.

Existe um suposto “Comando” que circula na internet. Ele é uma importante iniciativa, mas ainda muito limitada e desconhecida da maioria dos estudantes, justamente porque foi estabelecido praticamente por um grupo político, de forma bastante controlada e fechada. O correto é criar um Comando num processo transparente que envolva ao máximo possível as assembleias de base. Além disso, a forma de delegação desse “Comando” fechado é mais burocrática, pois não representa a quantidade de estudantes mobilizados em cada assembleia de escola. Nesse “Comando”, tanto uma escola super-mobilizada quanto uma escola controlada por burocratas sindicais, quase sem estudantes, podem ter o mesmo peso político. Isso é negar a experiência da juventude em outros países, como no Chile.

O “Comando” que circula na internet poderia muito bem pautar as assembleias de base das escolas sobre a necessidade de um encontro geral de todas as escolas. A esse encontro geral, público e bem divulgado, caberia criar um Comando legítimo. É isso que defendemos há bastante tempo, mas a proposta tem sido negligenciada por outros grupos.

Na ausência de um Comando real, o movimento tenderá a ser aparelhado por um ou outro grupo político e a participação dos estudantes pela base tenderá a ser neutralizada. Esse “Comando” que organizou-se de forma pouco clara, cuja maioria das escolas desconhece, já começa a assumir a função de negociar com o governo. Esse “Comando” protocolou a proposta de uma trégua ao governador: a suspensão da reorganização por um ano. Essa proposta não foi realmente discutida nas bases, só em pouquíssimas escolas. Do nosso ponto de vista, essa proposta pouco legítima só revela um desespero do movimento dos estudantes diante da pressão do fim do ano e, sobretudo, reconhece implicitamente que o movimento está incapaz de realizar novas ações radicais para derrotar já o governo (justamente porque carece de uma articulação de verdade).

O impasse ainda pode ser resolvido. Ainda dá tempo de criar um Comando de verdade para fazer ações fortes. Esse “Comando” pouco legítimo já criado, em vez de negociar com o governador, deveria assumir para si a tarefa de ajudar os estudantes a criarem um Comando de verdade. O movimento não tem tempo a perder.

Criar o Comando!
Articular pela base!
Radicalizar as ações para vencer já!